quarta-feira, 16 de novembro de 2011

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Dicas: lanchinhos saudáveis

Essa dica é para os maiorzinhos. Toda criança passa por uma fase em que fica meio chatinha pra comer entre os dois e quatro anos. É muito comum ver mães dizendo que o filho comia de tudo e de repente não gosta de nada. Não se preocupe, vai passar. Mas insista sempre em um cardápio saudável. Abaixo vão algumas dicas e receitas de comidinhas (disfarçadamente) saudáveis para os pequenos.

1 - Tudo no tamanho dele:
As crianças nessa idade gostam de comer sozinhas. E preferem que os utensílios (copo, prato, colher) sejam feitos para suas mãozinhas pequenas. A mesma coisa vale para a comida. A criança vai achar mais agradável comer porções pequenas e pedaços que caibam em sua boca.

2 - Diminua o volume:
Os pequenos se distraem facilmente com qualquer coisa, como televisão, rádio, telefone ou uma conversa alheia. Ajude seu filho a se concentrar mantendo um ambiente tranquilo na hora das refeições.

3 - Pense em cores vivas e formas divertidas
Assim como os adultos, as crianças comem primeiro com os olhos. Cozinhe alimentos de cores variadas. Você pode também usar forminhas para biscoitos para dar formas divertidas à comida.

4 - Leve seu filho para a cozinha
Ignore a bagunça um pouco. Ajudar no preparo das refeições incentiva o pequeno a experimentar sabores novos e comer alimentos saudáveis.



Picolés verdes

Bata em um liquidificador duas bananas bem maduras, um abacaxi, 2-3 xicaras de espinafre e água. Coloque em forminhas e leve ao freezer. Sucesso garantido.

Bolinhos de brócolis

Misture 2 xícaras de brócolis cozido no vapor picadinho, 1 xícara e meia de queijo ralado, 3 ovos, farinha de rosca e tempero a gosto. Faça pequenos bolinhos e asse por 25 minutos, virando-os na metade do tempo.

"Nuggets" saudáveis

Corte um peito de frango em cubos, mergulhe em iogurte desnatado e passe na farinha de rosca. Asse por aproximadamente 10 minutos

quinta-feira, 30 de junho de 2011

O futuro

Quero ser grande!

Dia desses estava eu à toa pensando no futuro, em como minha filha vai ser linda e graciosa (claro) e... será que minha filha vai ser baixinha?? Eu sou baixinha, minha mãe é menor que eu e minha avó era menor ainda. Seguindo essa tendência, ela deve ser mais alta que eu (ufa, deve dar pra alcançar a última prateleira do mercado). Ultimamente, observando principalmente meus alunos, percebo que os adolescentes estão ficando a cada ano maiores. As crianças de nove anos são maiores que eu e calçam 37! Menininhas que calçam 37, um horror (sem ofensas a quem tem pé grande)! E a tendência do brasileiro é ficar mais alto, em média cinco centímetros a mais a cada geração . E isso tem a ver com o desenvolvimento do país (principalmente com a melhora da alimentação - apesar do fast food hoje ingerimos mais vitaminas e minerais que há 100 anos e há menos desnutrição), logo nos países mais desenvolvidos, a população costuma ser mais alta, o contrário ocorrendo nos países menos desenvolvidos. 
E a pergunta que fica é: Será que daqui a duas gerações vamos ver por aí vovós de 1,80? Medo!

terça-feira, 28 de junho de 2011

segunda-feira, 27 de junho de 2011

13 coisas que ninguém te contou sobre ter um bebê (Parte 2) #maternidadereal

(Leia a primeira parte aqui!)


8 – Não importa o que você pensa, você vai transformar morrinhos em montanhas

Mesmo nas menores escolhas – entre tipos de papinha, essa ou aquela roupinha – você se sentirá como se estivesse decidindo como lidar com dívida pública. Isso é normal. Você está cansada e, convenhamos, existem escolhas demais por aí. Escolhas mais importante, como quando e onde vacinar, serão ainda piores, pois como mãe você está sempre hiper consciente de que as escolhas que você faz por seus filhos irão afetá-los para sempre e você morre de medo de fazer as escolhas erradas.

9 – As menores coisas às vezes irão te irritar ou deixar com raiva.

Seu filho pode te fazer dar um chilique simplesmente porque fez uma “escolha” que você não aprova, como não tirar a soneca quando deveria, estragando toda a rotina dele (sua).

10 – Você nunca vai sair de casa na hora em que esperava

Não importa quanto tempo leva pra você se arrumar, triplique esse tempo. Via de regra, seu filho ou vai fazer um cocô explosivo quando você estiver passando pela porta ou você vai estar a três quilômetros de casa quando perceber que esqueceu a bolsa de fraldas. Bebês são ótimos em bagunçar sua rotina, então não se deixe abater – tente remar com a maré sempre que possível.

11 – As pessoa irão oferecer ajuda – diga sim todas as vezes.

Se você é o tipo de pessoa que odeia pedir para os outros fazerem qualquer coisa por você, agora é a hora de mudar sua personalidade. Seus amigos e parentes irão se sentir bem sabendo que te ajudaram e, claro, você precisa desse auxílio. Não gaste aquela uma hora ou duas de tempo livre escrevendo cartões de agradecimento ou devolvendo presentes que você não quer. Tire uma soneca. A não morda a mãe que te alimenta – se o ângulo no qual sua sogra segura a mamadeira te irrita, respire fundo e saia de perto para não ver (e correr o risco de se intrometer).

12 – Mesmo que você não seja do tipo competitivo, você será atraída por comparações

Mesmo que seja bacana – e importante – ter um grupo de apoio de outras mães com crianças da mesma idade da sua, a constante comparação a respeito do desenvolvimento te fará sentir inferior. Se o seu filho ainda não rolou e o resto das crianças do parquinho estão virando cambalhotas, você sem dúvida se sentirá mal a respeito. Atrasos na fala são particularmente difíceis de lidar, pois você inevitavelmente chegará a conclusões sobre deficiências de aprendizado futuras ou pior. Tente evitar esse tipo de conversa mudando o assunto para algo positivo – algo que você sabe que ambos os seus filhos fazem e que é ótimo – ou algo neutro, como o fato de que você ainda faz xixi com frequência. Então saia da sala pra fazer xixi.

13 – Ficar sozinha de repente se torna a coisa mais maravilhosa de todos os tempos

Você ama seu bebê e seu marido. Você se sente sortuda e abençoada por tê-los em sua vida. Você está cansada deles. Tente se afastar dos acontecimentos de vez em quando, seja tomando um banho ou fazendo uma caminhada breve, ou fazendo uma vitamina pra você mesma e bebendo enquanto folheia uma revista enquanto seu bebê foi passear com aquele parente ou amigo para quem você disse sim. Um tempo sozinha é a chave para sua sanidade. Provavelmente você não fará massagens luxuosas nas primeiras semanas, mas alguns momentos de solidão para se lembrar de que você ainda é você – e não apenas mãe ou esposa – te darão a recarga que você precisa ainda de voltar para a trincheira.

Curtindo um pôr do sol com o papai. Delícia!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

13 coisas que ninguém te contou sobre ter um bebê (Parte 1) #maternidadereal

*Traduzido e adaptado do site iVillage

1 - Tudo à sua volta vai parecer ridiculamente perigoso
O mundo sempre foi um lugar não muito seguro, mas quando o seu bebê chega o nível de ameaça se torna extremo. Você terá medo do seu bebê ser fumante passivo, da fumaça do escapamento dos carros, mamadeiras com BPA, combustível no leite em pó, chumbo nos mordedores, e germes nas mãos sujas de todos que acham o seu bebê irresistível. Como lidar com isso? No início não muito bem. Eventualmente, você vai aceitar que não pode proteger o seu filho de tudo, inclusive dos nuggets de frango.

2 - Depois de ser a estrela por nove meses, alguém vai tomar seu lugar
Você se acostumou com estranhos oferecendo o assento no ônibus ou perguntando como você se sente. Mas agora que o bebê está aqui, você já era: seu papel é alimentar, vestir e confortar o bebê. E só. Todo mundo quer saber como o bebê está. Todos os presentes são para o bebê. Massagens nos pés feitas pelo seu marido (se é que ele fazia isso antes) agora são reservadas para as bisnaguinhas do bebê. Assuma, você foi colocada no banco de trás. Para o resto da vida. E você não está lá aconchegada na sua cadeirinha tirando uma soneca como o bebê.

3 - Você nunca vai ficar igual era antes usando um bíquini
Não importa o quão linda a Heidi Klum esteja depois do décimo segundo bebê, você ainda vai ter estrias que fazem sua bunda parecer uma bancada de mármore e possíveis veias azuladas para combinar. Sua barriga provavelmente vai continuar flácida até o seu filho fazer 18 anos, quando você provavelmente vai ter uma pancinha. E, sim, você vai querer enterrar o seu bíquini antigo no fundo da gaveta e investir em um "vestido" de nadar. Um conselho: faça um esforço para ficar bonita mesmo assim. Não se preocupe com as duas vezes ao ano em que você vai à praia. Compre roupas que te deixam linda em terra firme. E use-as com frequência, não só em ocasiões especiais. Isso inclui uma roupa bonitinha e confortável pra usar em casa com o bebê. E daí se ele vomitar nela? Isso também acontece com a Heidi Klum.

4 - Você terá momentos - especialmente à noite - em que se sentirá louca
No meio da madrugada, a lógica desaparece. Enquanto amamenta, você começa a imaginar que derrubou o bebê, causando dano cerebral irreversível. Ou superalimentou o bebê ao ponto da barriguinha dele explodir (aliás, isso não acontece; ao contrário de você, os bebês sabem quando parar de comer). Você pode sentir a necessidade de verificar a cada cinco minutos se o bebê está respirando, até ficar tão cansada que desmaia no chão do quarto dele. Quando você finalmente aceita que não precisa monitorar o bebê constantemente e que pode (e deveria) dormir entre as mamadas você começa a ter medo de não ouvir o bebê chorar e sua negligência levar o bebê à morte por inanição. Se você dá leite artificial, talvez jogue o conteúdo de inúmeras mamadeiras no lixo porque o cansaço faz você esquecer quantas medidas já adicionou à água. Sim, a falta de sono leva a falta de raciocínio e medos irracionais. Mas aparentemente o seu cérebro tem uma reserva, porque quando o dia chega as coisas se tornam mais claras. 

5 - As mães perfeitas serão um enigma pra você

Você conhece o tipo - o bebê dela nunca chora e elas conseguem tomar um café enquanto empurram o carrinho com uma mãe só. Quem ensinou elas a fazer isso? Elas treinaram antes de engravidar? Na última vez que você tentou fazer isso trombou com um poste, tomou um banho de café quente, manchou permanentemente seu novo carrinho de marca (modelo antigo que você comprou em um brechó ao contrário da mãe perfeita que tem um super moderno) e quase queimou sua preciosa criança nesse processo. A mãe perfeita flutua graciosamente com todos os últimos lançamentos em produtos de bebê à sua disposição. Na maioria dos casos ela já perdeu todo o peso da gravidez e geralmente aparece no momento em que você está se empanturrando com um cheeseburger. Você não gosta nem um pouco da mãe perfeita e pode falar incessantemente sobre seu hábito irritante de sempre ter lenços umedecidos à mão, armazenados em uma embalagem fofa, enquanto você sempre esquece os seus em casa. Mas lembre-se de que a mãe perfeita também tem dias ruins. E, acredite se quiser, haverá dias em que você estará por cima e todos a olharão com nojo e inveja.


6 - Amamentar é a habilidade mais estressante que você vai adquirir, e você pode nunca adquiri-la.
De mamilos doloridos e problemas de "pega" a ductos bloqueados e infecções mamárias, a amamentação é repleta de angústias. Você nunca se sentirá tão fracassada como mulher quanto quando não consegue alimentar sua criança naturalmente. Um especialista em amamentação pode ser a solução e, para algumas, uma orientação é suficiente. Mas não funciona para todas. E para aquelas que não têm sucesso, a vergonha de alimentar com leite em  pó pode parecer insuportável. Cada vez que outra mulher põe pra fora seus seios fartos enquanto você tira da bolsa seu pó artificial - particularmente durante a aula de yoga mamãe e bebê ou grupos dominados pelas mães perfeitas - você se sente horrível. Mas lembre-se de que a amamentação não é a única medida de uma boa mãe. Você pode amamentar por um (ou dois, ou três) anos ; você cria seu filho por mais ou menos 18, e esses outros anos também são importantes.

7 - A licença maternidade é mais difícil que um emprego em tempo integral

Antes de ter meu primeiro bebê, eu nunca entendi como alguém poderia entregar seu bebê a um estranho e sair pra trabalhar um dia inteiro. Depois de 12 semanas com meu bebê, eu entendi. Não é que eu não amasse meu filho mais que tudo no mundo; eu só percebi que não tinha nascido pra ser mãe em tempo integral. Eu tinha decidido bem antes do bebê nascer que iria trabalhar meio período depois da minha licença. A verdade é que eu estava pronta para voltar integralmente, mas isso não era mais uma opção pois eu já tinha aberto mão do meu cargo. Eventualmente voltei a trabalhar em período integral, mas a lição que aprendi é não presumir nada antes do bebê chegar. Você não pode ter certeza de como as coisas serão. Diga a seu chefe que você planeja voltar, e decida depois se é isso mesmo que você quer. Isso é ser honesto com seu chefe e com você mesma.

(Continua)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Inverno (usados)

Moletom lilás 3 anos
Camiseta manga longa algodão 9-12 meses
Casaquinho em plush 6-9 meses
R$5,00 cada peça

Conjunto Carter's Inverno

Conjunto de macacão e camiseta manga longa Carter's
Tamanho: 9 meses
Macacão em veludo cotelê forrado com detalhes em rosa claro, camiseta em malha 100% algodão e estampa de flores
R$60,00

sábado, 18 de junho de 2011

Dicas: sono dos bebês

Quando a Maya nasceu, ela só dormia. Acordava a cada três horas, mamava e voltava a dormir. Acho que passou o primeiro mês de vida quase todo assim. Às vezes ficava acordada por breves períodos.
Os bebês necessitam de muitas horas de sono, e o recém-nascido pode dormir por até 18 horas diárias. Quando o bebê começa a se interessar mais pelo mundo à sua volta, começa a passar mais tempo acordado, e também se distrai mais facilmente, começando a "lutar contra o sono". Foi o que aconteceu com a minha pequena. Passamos por um período muito difícil em que ela custava muito para dormir.
Hoje, com 8 meses, ela já tem uma rotina bem estabelecida de sono e sonecas, apesar de ainda acordar várias vezes à noite, por motivos diversos. Aqui vão as minhas dicas, baseadas não só em experiência própria, mas nas inúmeras pesquisas que fiz para superar o problema do sono:

1 - Coloque o bebê pra dormir aos primeiros sinais de cansaço
Caso contrário, o risco é de o sono vir e ir embora, o bebê (ou criança) se recusa a dormir, mas continua cansado, um cansaço que acumulado leva a muita irritação e manha. Sabe quando você fica acordada de madrugada empolgada com alguma coisa e de manhã sente que não precisa dormir mais? Então, o sono (e o mau humor) voltam em dobro depois, certo?

2 - As sonecas diurnas são muito importantes
Um dos maiores mitos é o conselho muito frequente de que os pais devem deixar a criança acordada durante o dia para gastar energia e dormir bem à noite. Uma criança superestimulada não só irá demorar muito mais para adormecer, como terá a qualidade de seu sono prejudicada.

3 - É importante que a criança durma em um horário adequado para sua idade
Deixar o bebê acordado até tarde na esperança de que ele acorde mais tarde no dia seguinte não funciona. A criança irá acordar no mesmo horário ao qual se acostumou, mas não terá descansado o suficiente, ficando irritada e manhosa.

Uma criança que não dorme o suficiente não só pode ter mais problemas de comportamento como também apresentará alterações cognitivas (não irá aprender tão bem quanto uma criança descansada), falta de concentração e de memória, e pode também não crescer como deveria. É importante reconhecer os sinais de sono insuficiente em seu filho, como a irritabilidade, perda de interesse em atividades e brinquedos, falhas de coordenação motora e até hiperatividade. Abaixo segue um link interessante do grupo "soluções para noites sem choro" que mostra uma tabela de sono saudável para bebês conforme a idade. Recomendadíssimo.

Até a próxima!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Canecas personalizadas


Para as mamães babonas de plantão: que tal tomar seu café em uma caneca com a foto do seu bebê?
Também é um ótimo presente pro papai, pra vovó, vovô ou titios. Minha mãe ganhou essa da Maya e amou, meu pai ficou com inveja e também quer uma.
Uma caneca personalizada com as imagens que você quiser sai por apenas R$20,00. Não é um mimo baratinho? Deixe um comentário se quiser encomendar (leva duas semanas pra ficar pronta). Beijos pra todo mundo!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Dicas: Bebês e Piscinas

Toda mãe já deve ter ouvido alguma  história de terror notícia a respeito da alguma crianças que se afogou na piscina de casa, da escola, do vizinho ou de parentes. E essa é uma questão preocupante, já que o afogamento é uma das principais causas de acidentes com crianças menores de 5 anos. Na casa da minha mãe tem piscina, então essa será uma preocupação extra durante as visitas depois que a pequena começar a se locomover sozinha. Dia desses me deparei com o seguinte vídeo:
O vídeo trata de uma técnica que está se popularizando no exterior, na qual bebês com mais de 6 meses são ensinados a sobreviver caso venham a cair na água, aprendendo a virar de barriga pra cima e boiar para que possam respirar enquanto a ajuda não vem.
Ensinar bebês a nadar ainda gera muitas controvérsias. De um lado, há os que pensam ser importante que a criança aprenda a nadar desde cedo por motivos de sobrevivência, mas há os que acham que isso apenas aumenta o risco da criança se aventurar na água e sofrer um afogamento.
Tradicionalmente, as aulas de natação são recomendadas para crianças acima de três ou quatro anos, embora antes disso a criança já possa frequentar cursos para bebês em algumas academias, que consistem apenas de brincadeiras e familiarização com a água e são realizados com o bebê no colo dos pais. Abaixo algumas dicas para quem frequenta ou gostaria de frequentar a piscina com seu bebê

De 6 meses a 1 ano
Nessa idade, a intenção é apenas apresentar a água ao bebê e familiarizá-lo com o ambiente por meio de brincadeiras.
- mantenha seu bebê em seus braços todo o tempo
- não mergulhe crianças abaixo de três anos sob a água. Apesar de nascermos com um reflexo de não respirar quando submergidos, as crianças podem engolir muita água, o que pode levar inclusive a uma intoxicação.
- Vista nele fraldas específicas para a água, como essa, da marca Huggies. Isso evita que fezes vazem para a piscina, contaminando a água.
- Se você possui piscina em casa, ela deve ser cercada em todos os lados com um portão de fechamento automático fora do alcance da criança. Mas lembre-se de que a cerca não substitui a supervisão.
- Um bebê pode se afogar em uma pequena quantidade de água e muito rapidamente, tome cuidado também com piscinas infláveis, baldes e banheiras.

De 2 a 3 anos
Nessa idade a criança é estimulada a movimentar braços e pernas na água, mas ainda precisa estar acompanhada de um adulto, embora seu filho possa achar que já consegue nadar sozinho
- Converse com ele sobre a segurança na piscina, como não correr ao redor e só entrar na água com o papai ou a mamãe.
- Bóias infláveis podem causar uma falsa sensação de segurança, pois podem desinflar com facilidade, especialmente se forem de qualidade duvidosa.
-  Retire da piscina brinquedos e objetos flutuantes que possam atrair a atenção da criança, que vai querer pegá-los

O que vocês pensam sobre o assunto?
Até outro dia, um beijo!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

macacão Carter's I love Daddy

Macacão Carter's de bolinhas com bordado
Tecido atoalhado de algodão
Tamanho 9 meses
R$35,00

macacão Carter's elefante

Macacão Carter's com bolinhas e estampa de elefante e corações
Tamanho 9 meses
Tecido de malha 100% algodão
R$35,00

Segunda feira de novo

Tô trabalhando, dá licença?

A semana aqui já começou com tudo, inclusive mamãe atrasada pro trabalho. Depois de um fim de semana de diversão e passeios, é hora de voltar à luta. Como foi o fim de semana de vocês? Um beijo!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Jardineira Laço (usada)

Jardineira jeans curta da marca Tip Top - usada uma única vez
Tamanho P - 0 - 3 meses
Em jeans com laço bordado. Fecha com botão entre as pernas e nas alças.
R$15,00

Bolero Tip Top (usado)

Bolero da marca Tip Top quase novo (usamos duas ou três vezes)
Tamanho M (3 a 6 meses) - eu acho um M pequeno
Veludo marrrom com forro e detalhes de bolinhas coloridas, bordado de passarinho e orelhinhas no capuz
R$20,00

Uma oração para minha filha, por Tina Fey

*versão traduzida, o original pode ser lido aqui.

Em primeiro lugar, Senhor: Sem tatuagens. Que nem o símbolo chinês da verdade nem o ursinho pooh segurando o logo da universidade manchem seus tenros quadris.

Que ela seja linda mas não perturbada, pois é a perturbação que atrai o olhar do treinador esquisito, não a beleza.

Quando drogas forem oferecidas, que ela se lembre dos pais que cortaram suas uvas ao meio e fique com a cerveja.

Quando estiver atravessando a rua, entrando em barcos, nadando no mar, nadando na piscina, andando perto de piscinas, parada na plataforma do metrô, cruzando uma avenida movimentada, saindo de barcos, usando banheiros de shopping, subindo e descendo de escadas rolantes, andando de roda gigante, montanha russa ou qualquer coisa chamada “Queda do Inferno”, “Torre da Tortura” ou “Espiral da Morte na gravidade zero com Aerosmith”, ou parada em qualquer tipo de varanda em qualquer lugar em qualquer idade.

Afaste-a da vida de atriz mas não aproxime-a tanto da de contador. Que ela seja alguma coisa em que pode fazer seu próprio horário mas ainda se sentir satisfeita intelectualmente e saia ao ar livre às vezes e não tenha que usar salto alto.

Que carreira seria essa, Senhor? Arquiteta? Parteira? Designer de campos de golfe? Estou pergutando porque se eu soubesse, estaria fazendo isso.

Que ela toque bateria sob o ritmo intenso de seu próprio coração e a força de seus próprios braços, para que não precise se deitar com bateristas.

Dê a ela um período difícil entre os doze e os dezessete anos. Deixe que ela desenhe cavalos e se interesse por Barbies por bastante tempo. Pois a infância é curta – uma planta que floresce por apenas um dia – e a vida adulta é longa e a pegação no carro pode esperar.

Oh, Senhor, quebre a internet para sempre. Que ela seja poupada da ofensas gramaticais de seus colegas. E da campanha de marketing online para o Albergue do Estupro V: Garotas querem ser apunhaladas.

E quando o dia chegar em que ela se virar pra me e me chamar de megera, dê-me forças, Senhor, para enfiá-la num táxi na frente de seus amigos, porque eu não vou aceitar esse tipo de merda.

E se vier o dia em que ela escolha ser mãe, seja meus olhos, Senhor, para que eu a veja, deitada em um cobertor no chão às 4:50 da manhã, ao mesmo tempo exausta, entediada e apaixonada por essa criaturinha cujo cocô está vazando pelas costas.

Minha mãe já fez isso por mim” ela irá perceber enquanto limpa as fezes do pescoço de seu bebê. “Minha mãe fez isso por mim”. E a gratidão adiada irá tomá-la como faz em cada geração e ela irá fazer uma nota mental para me ligar. E irá esquecer, mas eu saberei, pois espiei pelos olhos do Senhor.


Amém


-Bossypants, 2011


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Dica: papinhas

Tá uma delícia, mamãe

A Maya é um bebê magrinho. Enquanto seu comprimento está na média para a idade, o peso vem seguindo a curva do pecentil 10. Ela nasceu com o peso normal, mas teve problemas para ganhar peso devido a um período complicado de refluxo e muitas cólicas que fizeram com que ela mamasse muito pouco. Por causa disso sempre me preocupo muito com a alimentação dela. Fiquei um pouco apreensiva quando chegou a hora de iniciar as papinhas. A pediatra dela me recomendou que fizesse a seguinte receita:

- um vegetal branco (batata, mandioquinha, cará, inhame, mandioca)
- um vegetal laranja/vermelho (abóbora, cenoura, beterraba)
- um vegetal verde claro (abobrinha, chuchu, repolho)
- um vegetal verde escuro (espinafre, couve, rucula, agrião)
- carne

Então sempre faço a comida da Maya assim: refogo a carne (geralmente uso músculo) na panela de pressão com alho e cebola e cozinho até ficar quase desmanchando. Desfio bem pequenino ou bato junto com o caldo. Depois cozinho com esse caldo/carne os legumes e verduras. Faço sempre uma quantidade maior e congelo algumas porções em potinhos individuais. Antes de "servir" coloco uma colherzinha de manteiga e uma pitadinha de sal. E ela come bem que é uma beleza! Mas continua sendo minha magricelinha fofa! Beijos pra todos.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Conjunto Carter's Camisa Xadrez

Conjunto Carter's composto de camisa xadrez e calça azul marinho
Tamanho 24 meses
Tecido 100% algodão
R$50,00

Vestido Carter's Flores (reservado)


Lindo vestido Carter's preto florido
Tamanho 18 meses
Tecido macio 100% algodão estampado em fundo preto com detalhe da gola de cetim, acompanha calcinha de mesma estampa e tecido.
R$45,00

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Outono no parque

Por que a grama não tá verde?

Nesse fim de semana fomos passear no parque da Aclimação com a vovó. Passeio super recomendado pra quem mora na região. É uma oportunidade para nossos pequenos que vivem em apartamento de ter um contato com a natureza, respirar um pouco de ar puro, rolar na grama, enfim.... e também tem parquinho para as crianças com brinquedos super bem cuidados. Apesar do frio que tem feito, um passeio super gostoso. Beijos e boa semana para todos.


sexta-feira, 3 de junho de 2011

Conjunto Carter's Jardineira Guitarra

Fofíssimo conjunto Carter's - camiseta e jardineira
A jardineira possui botões para abertura entre as pernas (facilita trocas de fralda) e alças ajustáveis.
Tamanho 9 meses
R$50,00

Vestido Carter's Xadrez

Lindo vestido xadrez Carter's
Tamanho 6x
Tecido de algodão xadrez azul e branco com detalhes e botão amarelos. Bolsos na frente, abre com botões na parte de trás.
R$50,00

Macacão Carter's Baseball

Macacão da marca Carter´s (novo!)
Tamanho 9 meses
Tecido aveludado nas cores azul marinho, cinza, vermelho e branco
R$35,00

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Macacão Carter's Cupcake

Macacão feminino über fofo da Carter's (novo!)
Tamanho: 6 meses
Tecido atoalhado, cor azul claro com bolinhas e detalhes na cor marrom e bordado de cupcake.
R$35,00

Apresentando


Olá! Meu nome é Paula e eu sou mãe da Maya, essa gracinha aí embaixo.


Oi, gente!

Como todos sabem, criar um filho é algo que custa um certo dinheiro, entre leite, fraldas, roupas e outras coisinhas, certo? E estamos também cansados de saber que dinheiro não nasce em árvore nem cai do céu. E eu sou uma humilde e falida professora (vocação pra pobre, eu tenho!). Então estou aqui tentando angariar fundos pra cuidar da minha princesa. Eu podia estar matando, podia estar roubando, mas estou aqui anunciando lindas roupinhas para seus bebês e crianças. Vamos ter roupas novíssimas e outras nem tão novas mas sempre bem conservadas. A qualidade é ótima, o preço justo e é por uma boa causa! Sejam bem vindos e um beijo grande!